Home

Polpa de pêssego

Empresa converte parte de sua produção para fazer polpa e atender demanda

Com o objetivo de atender uma demanda crescente por polpa de pêssego no mercado nacional e internacional, foi elaborado pelo Instituto Brasileiro de Frutas – Ibraf em parceria com a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial – ABDI, o projeto de reconversão industrial para as indústrias processadoras de pêssego, que produziam, até então, principalmente pêssegos em conserva.

Este projeto faz parte do Plano de Desenvolvimento Setorial de Frutas Processadas e teve o objetivo de identificar formas de diversificar a produção, através de uma adequada integração entre indústria e produtor. Para Jorge Boeira, coordenador do projeto da ABDI, ´"a iniciativa visa contribuir para a criação de novos negócios agroindustriais, visando atender a demanda internacional e a ampliação do mercado brasileiro para sucos e polpas de frutas".

Luiz Ariosto Erhart diretor da Golden Peach, uma das empresas analisadas pelo projeto, afirma “o país é importador deste produto e nossa região tem produção, além disso uma grande quantidade de pêssego é desperdiçada por ser de tamanho pequeno para colocar na lata para as compotas”. Entretanto, o Brasil, apesar do seu potencial de produção de polpa de pêssego com variedades e qualidade adequada, tem importado mais de 90% das suas necessidades, equivalente a 12.000 toneladas/ano.

O que vem movimentando esta demanda é o grande crescimento do mercado de sucos prontos para beber, onde o sabor pêssego é o segundo mais preferido. No mercado internacional a demanda também é grande, os principais importadores são os Estados Unidos, União Européia, Japão e Rússia. Segundo Moacyr Saraiva Fernandes, presidente do Ibraf “a produção de polpa de pêssego no país é uma oportunidade que está sendo desperdiçada pela indústria de pêssego nacional”.

A etapa atual acontece em Portugal, desde o dia 20, e seguirá até 27 de novembro. A rede de supermercados Jerônimo Martins participará pela primeira vez desta ação, com 330 lojas, que receberão frutas como mamão papaia e formosa, abacaxi, limão, melão, manga, melancia, uva, abacate, goiaba vermelha, coco e maracujá.

Para reverter este cenário e contribuir para o desenvolvimento das indústrias do Rio Grande do Sul, foi desenvolvido um estudo técnico e financeiro para avaliar a viabilidade de reconverter algumas linhas das unidades agroindustriais locais, hoje dedicadas a produção de pêssego em calda, para produzir polpa.

A Golden Peach implantou o projeto e já está, nesta safra que se inicia, processando polpa de pêssego concentrada a 30/32° Brix envasada assepticamente. “Entre a compra e adequação das instalações tivemos 6 meses de construções e montagem e os resultados até este momento são muito bons, tivemos ótima produção em quantidade e também em qualidade”, ressalta o diretor da empresa, e complementa “ainda não iniciamos a comercialização, mas devemos colocar o produto no mercado interno como alvo negocial prioritário, neste momento”.

A previsão da Golden Peach é processar mais de 3 mil ton de pêssego neste primeiro momento, e processar outras frutas da região como morango, uva e maçã assim que estiver terminada a safra de pêssego para aproveitamento da linha de produção o ano inteiro. A matéria-prima é adquirida de pequenos produtores da região fazendo com que tenham onde entregar a fruta mesmo em pequenas quantidades.


Sial 2012
Bio Controle